quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Dane-se

Nessas épocas, vemos que ainda há muitos brasileiros com aversão ao incorruptível. E com paixão inabalável ao corruptor.

Ah essas máximas

Os desonestos adoram o adágio de que são todos farinha do mesmo saco.

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

É tempo

Quem critica aqueles que votam no menos ruim, vota em quem?

domingo, 5 de agosto de 2018

Eu gosto é de ludibriação*


O brasileiro está tão acostumado a ser enganado que quando ouve um orador falar a verdade, diz que o discurso falta estratégia.

*P.S. neologismo? Não a encontrei nos dicionários.

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Pusilânimes

Os feriados eram poucos, então criaram os facultativos. 

quinta-feira, 21 de junho de 2018

Novos tempos

Nesses tempos, até a carona tá difícil, agora é tudo no racha.

sábado, 9 de junho de 2018

Fato

Ganha bem no Brasil, indiscutivelmente, quem tem mais conhecimento, mas com políticos.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Editorial

O PT copiou massivamente os programas do PSDB e, ainda assim, acham que eles estão em extremos opostos.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

O típico... brasileiro

Eles são tão convictos de sua inocência que até parece que a imensidão de investigações que correm ao seu encontro são puras invencionices. Nunca vi nenhum dizer que errou e que deve pagar por isso.

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Atemporalidade, característica intrínseca aos gênios

 “Assistimos a uma verdadeira especulação na baixa de valores. Tudo quanto é de menos valia é exaltado; a mediocridade é exaltada, o inferior é erguido”. Mário Ferreira dos Santos, em 1967.

segunda-feira, 7 de maio de 2018

Hipóteses e mais hipóteses

Criar hipóteses para um fato recôndito é válido. Porém, a criação de suposições descabidas e demasiadas, sem a par de pista alguma, é doentia.

quinta-feira, 3 de maio de 2018

Bom, com ressalvas

Resultado de imagem para Guia Politicamente Incorreto Dos Presidentes da República

Essa semana concluí a leitura do Guia Politicamente Incorreto dos Presidentes da República, de uma forma geral o livro é bom, gostei da abordagem do autor, longe do excesso de datas e acontecimentos banais, ele traz os conchavos políticos dos mandatos presidenciais, contando a vida profissional e íntima dos chefes do executivo, inclusive detalhes físicos desses homens, o que deixa o livro um tanto cômico.

Porém, é aparente a afinidade demasiada do autor para com alguns políticos. No capítulo sobre o presidente Fernando Henrique Cardoso, Paulo Schmidt não fala dos casos polêmicos ocorridos no mandato do tucano, como, por exemplo, a cooptação escusa de votos para aprovar a emenda constitucional que deu ao chefe do executivo federal o direito de se candidatar a um segundo mandado, contada de forma sucinta e positivamente.

Em outra parte, ainda a respeito de FHC e a oposição, afirma que essa é de esquerda, levando o leitor a crer que Fernando não é de esquerda. Quando, em páginas anteriores, pasmem, o escritor revela a simpatia do presidente por Karl Marx e seus escritos. A visão de que o PSDB é de direita não é compartilhada apenas por Schmidt, grande parte da mídia brasileira tem a mesma posição. Para eles, como o tucanato é liberal na economia, isso basta para defini-los como de direita.

sábado, 21 de abril de 2018

Congruência corruptiva

Se ele compra para governar, certamente, vender-se-á para compensar.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Rejeição

Considero uma certa rejeição um fato positivo, indivíduo popular demais, geralmente, usa personagem. É covarde na hora de expor suas opiniões ressentindo prejudicar seu nível de populismo.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Editorial

Todo ativismo esconde segundas intenções.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

Acéfalos

Conversar com idiota é estressante, conta-se uma situação pontual, e na cabeça dele aquilo funciona como uma regra geral. Causa um reboliço tão grande no cerebelo do indivíduo que a maior preocupação dele é argumentar com uma situação contrária.

quinta-feira, 29 de março de 2018

Desconhecimento do sinais

O que tem de gente afirmando achando que está interrogando...nas redes sem sinais, oh!, nas redes sociais.