quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Profecia do blog para o ano vindouro


Estudar! A melhor forma de prever o futuro.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Um prêmio justo e que merece ser copiado

A prefeitura de Cruzeta, cidade do interior do RN, mais precisamente no Seridó Oriental, premiou a melhor estudante do ensino fundamental daquela cidade deste ano, com um Laptop (computador portátil), a ganhadora Hortência Mitzi cursou o 6° ano na escola EMCAS. Para chegar à vitória a colegial obteve os melhores rendimentos nos seguintes critérios:

a)Melhor média aritmética simples da classificação final das disciplinas que constituem as áreas curriculares disciplinares.

b) Maior número de disciplinas que constituem as áreas curriculares disciplinares com classificação quantitativa máxima.

c) Melhor comportamento, medido pelo menor número de faltas de natureza disciplinar.

d) Maior assiduidade, medida pelo menor número de faltas de presença.


Esperamos que ela possa usar a nova tecnologia de forma que enriqueça os seus conhecimentos e aumente a sua produtividade escolar.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

domingo, 13 de dezembro de 2009

Exige do leitor um vasto conhecimento do vocabulário

Esse pequeno texto descrito abaixo é uma crítica ferrenha feita pelo colunista do diário de Natal Rodrigo Hammer, o mesmo critica de forma atroz o filme mexicano Luz Silenciosa. Achei interessante, pois assim como coloquei no título dessa matéria, eu confesso que não consegui interpretar a reflexão de Hammer sem fazer consultas ao “pai dos burros”, o dicionário, foram mais de duas consultas para conseguir entender o que o mesmo escreveu.

E você irá conseguir interpretar sem usar o glossário? Teste o seu conhecimento.


Luz Silenciosa
México – 2007

Arregimentar figurantes recrutados para desempenhar papéis que deveriam está nas mãos de atores profissionais, nem sempre surte o efeito desejado. O recurso utilizado nessa bomba mexicana retocada para convencer cinéfilos sem estofo, esbarra na direção modorrenta do ridículo Carlos Reygadas quando a idéia é narrar a desintegração conjugal de um casal menonita. Um festival de bocejos!

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Desafio 03

Esse blog está postando o terceiro desafio de matemática, elaborado pela FCC (Fundação Carlos Chagas), que foi questão do concurso da Caixa Econômica Federal. O item parece simples, mas exige um pouco de raciocínio.

03- Uma pessoa X pode realizar uma tarefa em 12 horas, outra pessoa Y é 50% mais eficiente que X. Nessas condições, o número de horas para que Y realize essa tarefa é:
a)4
b)5
c)6
d)7
e)8

Podem opinar suas respostas usando o link de comentário abaixo, em breve postarei a resolução.

M@t3m@t1c@ uma ciência exata!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

domingo, 8 de novembro de 2009

Se acontecesse na prática era bom

Veja o que diz o inciso V do Art. 208 da constituição brasileira:

Art. 208. O dever do Estado com a educação será efetivado mediante a garantia de: (EC n° 14/96 e EC n° 53/2006)

V – Acesso aos níveis mais elevados do ensino, da pesquisa e da criação artística, segundo a capacidade de cada um.

As normas no papel são bonitas, entretanto na prática não procede. Quantos jovens deixaram muitas vezes de cursar uma universidade por falta de transporte, moradia ou alimentação. Nos últimos anos o governo federal aumentou até que significativamente o número de vagas em cursos superiores e técnicos, porém, está pecando na hora de inserir políticas públicas para a inclusão dos estudantes nesses cursos. O que se contradiz com o Art. mencionado acima quando fala que: “é dever do Estado acesso aos níveis mais elevados do ensino”.

Faculdade é desenvolvimento, a falta de acesso a ela é subdesenvolvimento.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Um sonho de consumo

Encontrei esta carta que segue abaixo, do médico, professor universitário e também escritor Moacyr Scliar. Achei muito realista e resolvi postar aqui neste humilde blog.


PREZADOS SENHORES,

Uns amigos me falaram que os senhores estão para destruir 45 mil pares de tênis falsificados com a marca Nike e que, para esse fim, uma máquina especial já teria até sido adquirida. A razão desta cartinha é um pedido. Um pedido muito urgente.
Antes de mais nada, devo dizer aos senhores que nada tenho contra a destruição de tênis, ou de bonecas Barbie, ou de qualquer coisa que tenha sido pirateada. Afinal, a marca é dos senhores, e quem usa essa marca indevidamente sabe que está correndo um risco. Destruam, portanto. Com a máquina, sem a máquina, destruam. Destruir é um direito dos senhores.
Mas, por favor, reservem um par, um único par desses tênis que serão destruídos para este que vos escreve. Este pedido é motivado por duas razões: em primeiro lugar, sou um grande admirador da marca Nike, mesmo falsificada. Aliás, estive olhando os tênis pirateados e devo confessar que não vi grande diferença deles para os verdadeiros.
Em segundo lugar, e isto é o mais importante, sou pobre, pobre e ignorante. Quem está escrevendo esta carta para mim é um vizinho, homem bondoso. Ele vai inclusive colocá-la no correio, porque eu não tenho dinheiro para o selo. Nem dinheiro para selo, nem para qualquer outra coisa: sou pobre como um rato. Mas a pobreza não impede de sonhar, e eu sempre sonhei com um tênis Nike. Os senhores não têm ideia de como isso será importante para mim. Meus amigos, por exemplo, vão me olhar de outra maneira se eu aparecer de Nike. Eu direi, naturalmente, que foi presente (não quero que pensem que andei roubando), mas sei que a admiração deles não diminuirá: afinal, quem pode receber um Nike de presente pode receber muitas outras coisas. Verão que não sou o coitado que pareço.
Uma última ponderação: a mim não importa que o tênis seja falsificado, que ele leve a marca Nike sem ser Nike. Porque, vejam, tudo em minha vida é assim. Moro num barraco que não pode ser chamado de casa, mas, para todos os efeitos, chamo-o de casa.
Uso a camiseta de uma universidade americana, com dizeres em inglês, que não entendo, mas nunca estive nem sequer perto da universidade – é uma camiseta que encontrei no lixo. E assim por diante.
Mandem-me, por favor, um tênis. Pode ser tamanho grande, embora eu tenha pé pequeno. Não me desagradaria nada fingir que tenho pé grande. Dá à pessoa uma certa importância. E depois, quanto maior o tênis, mais visível ele é. E, como diz o meu vizinho aqui, visibilidade é tudo na vida.


Moacyr Scliar

sábado, 10 de outubro de 2009

Para os amantes da leitura

Um site, extensão do portal do governo federal, está disponibilizando uma biblioteca virtual gratuita. Além de obras literárias, o site dispõe de hinos, vídeos, literatura infantil e muito mais. Escritores como Machado de Assis, William Shakespeare, Joaquim Nabuco e outros, estão presentes através dos seus livros, na página web.
Para apreciar tudo isso basta acessar o endereço WWW.dominiopublico.gov.br.
Divulguem!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

A construção da cidadania

O respeito pela cidade precisa se estender ao respeito pelo cidadão. Se é preciso que se cuide do espaço público, mais ainda será preciso que se respeite o espaço do outro ou o espaço comum.

"Gabriel Chalita"

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Pequena e humilde reflexão

Toda critica é positiva, sendo ela construtiva e dentro dos padrões da ética profissional.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Grito do Ipiranga? Aconteceu ou não?


Contestado por muitos historiadores, mas presente na maioria dos livros didáticos que falam de história do Brasil, o “Grito do Ipiranga”, fez hoje, mais um aniversário. Pois bem, segundo os livros em 7 de setembro de 1822, as margens do riacho Ipiranga, D. Pedro falou perante os presentes: “Independência ou Morte!”. Separando dessa forma, o Brasil de Portugal.

Controvérsias a parte, o que sabemos de certo mesmo, é que atualmente, ou melhor, hoje, 7 de setembro de 2009, a República Federativa do Brasil, é um país “independente”.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Desafio de Matemática 02

02 - Zezinho joga no tabuleiro ao lado da seguinte maneira: Ele coloca uma peça na casa "PARTIDA" e ele move a peça da seguinte maneira: ele lança uma moeda, se der CARA ele avança duas casas, e se der COROA ele recua uma casa. Zezinho lançou a moeda 20 vezes e conseguiu chegar na casa CHEGADA. Quantas vezes a moeda deu CARA?


A) 12
B) 14
C) 10
D) 8

obs.: gabarito em breve

sábado, 29 de agosto de 2009

Monopólio Sarneisista

Maranhão, propriedade dos Sarneys

- Para nascer, Maternidade Marly Sarney;
- Para morar, escolha uma das vilas: Sarney, Sarney Filho, Kiola Sarney ou, Roseana Sarney;
- Para estudar, há as seguintes opções de escolas: Sarney Neto , Roseana Sarney, Fernando Sarney, Marly Sarney e José Sarney;
- Para pesquisar, apanhe um táxi no Posto de Saúde Marly Sarney e vá até a Biblioteca José Sarney, que fica na maior universidade particular do Estado do Maranhão, que o povo jura que pertence a um tal de José Sarney;
- Para inteirar-se das notícias, leia o jornal O Estado do Maranhão, ou ligue a TV na TV Mirante, ou, se preferir ouvir rádio, sintonize as Rádios Mirante AM e FM, todas do tal José Sarney. Se estiver no interior do Estado ligue para uma das 35 emissoras de rádio ou 13 repetidoras da TV Mirante, todas do mesmo proprietário, do tal José Sarney;
- Para saber sobre as contas públicas, vá ao Tribunal de Contas Roseana Murad Sarney (recém batizado com esse nome, coisa proibida pela Constituição, lei que no Estado do Maranhão não tem nenhum valor);
- Para entrar ou sair da cidade, atravesse a Ponte José Sarney, pegue a Avenida José Sarney, vá até a Rodoviária Kiola Sarney... Lá, se quiser, pegue um ônibus caindo aos pedaços, ande algumas horas pelas 'maravilhosas' rodovias maranhenses e aporte no município José Sarney.

Não gostou de nada disso? Então quer reclamar? Vá, então, ao Fórum José Sarney, procure a Sala de Imprensa Marly Sarney, informe-se e dirija-se à Sala de Defensoria Pública Kiola Sarney...


Seria cômico se não fosse tão triste... Infelizmente, o texto é verdadeiro...

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Como as coisas mudam

Um casal de velhinhos está deitado na cama.
A esposa não está satisfeita com a distância que há entre eles.
Ela lembra:
- Quando éramos jovens, você costumava segurar a minha
mão na cama.
Ele hesita e, depois de um breve momento, estica o braço e
segura a mão dela.
Ela não se dá por satisfeita.
- Quando éramos jovens, você costumava ficar bem pertinho
de mim.
Uma hesitação mais prolongada agora e, finalmente, res-
mungando um pouco, ele vira o corpo com dificuldade e se
aconchega perto dela da melhor maneira possível.
Ela ainda insatisfeita:
- Quando éramos jovens, você costumava morder minha
orelha...
Ele dá um longo suspiro, joga a coberta de lado e sai da cama.
Ela se sente ofendida e grita:
- Aonde você vai ?
- Buscar a dentadura, véia chata da mulestia!
- Você tira o juizo até de Deus, diabo!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

IBGE divulga lista atualizada do número de habitantes do país

São aproximadamente 191 milhões de pessoas. O estado de SP possui as cidades com o maior e menor número de moradores: São Paulo, 11.037.593 e Borá, 837.


CONFIRA AQUI QUANTOS HABITANTES TÊM A SUA CIDADE

sábado, 15 de agosto de 2009

Enquanto o Pão e Circo imperam, a educação vai mal

A tabela abaixo faz uma comparação do dinheiro público investido pelas prefeituras com festas em praça pública e a situação atual dos municípios na educação, a pontuação mostrada é medida pelo IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). Essa média mostrada aí é dos anos finais (ensino médio), todos retirados do mec, site do governo federal. As cidades citadas abaixo foram algumas das rajadas de municípios no qual seus gestores investiram demasiadamente em bandas de forró durante o período junino.






quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Frase imortal

"Imolado, sim; vencido, nunca."
Aluízio Alves (1921-2006)

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

K, W e Y, consoantes ou vogais?

O novo acordo ortográfico da língua portuguesa incluiu as letras K, W e Y no alfabeto, mas elas são consideradas consoantes ou vogais? Segundo a revista nova escola, na pronúncia a consoante precisa de uma vogal para formar sílabas e ser pronunciada. Já a vogal não, ela só basta. Conforme a revista, o Y é uma vogal, pois foi descendido do alfabeto grego e mantém esse som nas palavras em que é usado, como em ioga. O K responde, em português, ao som de C ou QU, como em Kuait, sendo considerado consoante. Já o W, o impresso diz que deve ser empregado de acordo com sua pronúncia, ora com som de V (Wagner), ora com som de U (Web). Fazendo com que, a letra W seja considerada consoante ou vogal, conforme o uso.